As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

Jornal Documento
19/02/2008
Sema aumenta a fiscalizacao atuando com 45 equipes

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) deflagrou mais uma operação para fiscalizar 958 pontos de desmatamento em 63 municípios. Esta é a segunda etapa do trabalho que visa fiscalizar todas as áreas apontadas pelo sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), como desmatadas entre o período de outubro e dezembro de 2007. Estão em campo 45 equipes que contam ainda com o apoio de um helicóptero.

Secretário de Meio Ambiente, Luís Henrique Daldegan enfatiza que o trabalho que teve início em janeiro ganhou reforço esta semana e tem como meta, além de aferir as áreas apontadas pelo Deter, autuar os infratores e embargar áreas que realmente tenham sido desmatadas ilegalmente.

Na primeira etapa da operação, realizada em janeiro, foram verificadas as áreas apontadas com mais de 500 hectares desmatados. Agora todos os pontos serão fiscalizados.

Entre os municípios fiscalizados estão os 19 que foram proibidos, pelo Governo Federal, de desmatarem: Alta Floresta, Aripuanã, Brasnorte, Colniza, Confresa, Cotriguaçu, Gaúcha do Norte, Juara, Juína, Marcelândia, Nova Bandeirantes, Nova Maringá, Nova Ubiratã, Paranaíta, Peixoto de Azevedo, Porto dos Gaúchos, Querência, São Félix do Araguaia e Vila Rica.

Primeira etapa

Em 25 pontos vistoriados in loco pela Sema em janeiro deste ano, que tinham sido apontados pelo Deter como áreas desmatadas entre outubro e dezembro de 2007, foi constatado que apenas em dois deles realmente houve desmate recente.

As áreas aferidas no primeiro mês deste ano foram nos municípios de Cláudia, Vera, Novo Mundo, Ipiranga do Norte, União do Sul, Santa Carmem, Nova Ubiratã, Brasnorte, São Félix do Araguaia e Carlinda.

Somente um dos pontos no município de Cláudia realmente foi desmatado. Entretanto, o Deter apontava o desmatamento de uma área de 861,34 hectares e, conforme vistoria em campo, foi comprovado que a área desmatada é de apenas 45 hectares. O outro ponto confirmado de desmate ilegal foi em São Félix do Araguaia.

Em Vera foi aferido um ponto que o Deter apontava como desmatado. A fiscalização da Sema confirmou que trata-se de uma área de floresta que sofreu queimadas em novembro de 2007.

No município de Novo Mundo foram aferidos cinco pontos que o Deter afirmava terem sido desmatados dentro do Parque Estadual Cristalino. A fiscalização, no entanto, mostrou que tratam-se de áreas que não foram desmatadas em 2007 e sim anteriormente.

No município de Santa Carmem também foram aferidos cinco pontos. Destes, uma área não foi desmatada, trata-se de um projeto de manejo explorado na fazenda Santa Clara I. Três pontos também não são desmatamento e sim de áreas queimadas em novembro de 2007 e o quinto ponto é uma área, não desmatada recentemente, e que encontra-se em processo de regeneração.

Outros cinco pontos foram aferidos no município de Nova Ubiratã. São todas áreas de assentamentos que queimaram em novembro de 2007. Em Ipiranga do Norte também foi aferido um ponto e o desmatamento na área também não aconteceu recentemente. Em União do Sul mais um ponto, cuja área também não foi desmatada e sim queimada no mês de outubro de 2007. Em Brasnorte o outro ponto aferido, sendo que a área é de floresta e foi queimada no mês de dezembro de 2007.

A equipe de fiscalização fez fotos das áreas, que foram referenciadas com suas respectivas coordenadas geográficas.

A equipe de fiscalização da Sema já tinha aferido outros cinco pontos, em janeiro deste ano, sendo dois no município de São Félix do Araguaia. Neste município, uma das áreas realmente foi desmatada em 2007, mas o outro ponto não. Também foram aferidos pontos nos municípios de Carlinda (dois pontos) e Vera (um ponto) e nestas três áreas ficou comprovado que também não houve desmatamento em 2007 como afirmava o Deter.