As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

Algodoal - http://www.algodoal.com.br/
01/09/2011
Projeto deve levar Ecomuseu da Amazonia para a Ilha de Maiandeua

O Projeto Bicho D'Água, coordenado pela Dra. Renata Emin do MPEG procurou em 2010 a Profa. Graça Santana (secretária do GAF) para saber sobre a história, as ações desenvolvidas pelo grupo, bem como sobre o perfil das comunidades da APA. O objetivo da equipe do Museu era coletar dados para subsidiar a formulação do projeto "Bicho D'Água: Conservação de Mamiferos Aquáticos", que posteriormente foi submetido ao Edital da Petrobrás. O GAF colaborou com o fornecimento de documentos, com as proposições no que tange à capacitação da comunidade e deu seu aval para ser parceiro do projeto através da assinatura do presidente Ivan Teixeira.

O projeto foi contemplado pela Petrobrás no final de 2010 e tem seu foco de ação em duas grandes áreas do Estado do Pará: Apa de Algodoal Maiandeua e Marajó. O projeto foi apresentado no Conselho Gestor da APA que definiu a implementação de um Ecomuseu com sede na comunidade de Algodoal.

Os Ecomuseus na Amazônia são frutos das discussões sobre o desenvolvimento da região tendo como base a sustentabilidade social, ambiental, econômica e cultural que vem sendo discutida, principalmente na década de 90, como princípios éticos de desenvolvimento que insere a particiapação comunitária nos processos decisórios sobre a gestão ambiental e cultural do território à qual essa população está inserida.

Neste contexto, associações, sindicatos e representatividades de movimentos sociais locais são agentes de intermediação destes processos políticos e educativos, desde que estas entidades estejam comprometidas eticamente com o desenvolvimento local, podem contribuir para qualquer empreendimento nas unidades de Conservação.

Neste sentido, o GAF, enquanto ONG, está ansioso para que o ECOMUSEU em Maiandeua se concretize nas recomendações das políticas de sustentabilidade que vêm sendo acordada nos fóruns, reuniões, documentos e acordos intergovernamentais difundidos pelas entidades como a ONU (Organização das Nações Unidas- criado em 1945), a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura- ano de fundação em 1945) e o ICOM (Comitê Internacional de Museus- criado em 1946).

http://www.algodoal.com.br/content/view/481/160/