As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

MMA - http://www.mma.gov.br
09/12/2016
Projeto de mineracao e liberado em Carajas

Licença de operação é para área de exploração na Serra Sul de Carajás, no Pará, onde não haverá barragem de rejeitos.

O ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho, anunciou, nesta sexta-feira (09/12), a liberação das atividades de exploração do Projeto S11D, situado na Floresta Nacional de Carajás, no Pará. A licença autoriza a empresa Vale S.A. a produzir até 90 milhões de toneladas/ano de ferro de alta qualidade. Essa produção será escoada por ferrovia até o Porto Itaqui, em São Luís, Maranhão, de onde seguirá para exportação. Os investimentos foram de US$ 14,3 milhões.

O Projeto Carajás S11D não contempla barragens de rejeitos já que o beneficiamento do minério ocorrerá sem a necessidade de adição de água. Isso se deve à combinação da qualidade do minério a ser lavrado, com a tecnologia de beneficiamento proposta no âmbito da análise de viabilidade ambiental do empreendimento.

A Licença de Operação foi solicitada em março de 2016 e concedida mediante a exigência de 16 ações de mitigação, controle e compensação ambiental que já estão em andamento na Floresta Nacional e no seu entorno e permanecem durante o período de operação, estimado em 48 anos pela Vale.

O projeto adotou outras tecnologias ambientalmente avançadas, como a implantação do sistema truckless, em que a lavra do minério é realizada sem a necessidade de utilização de caminhões fora de estrada, o que reduz a emissão de gases do efeito estufa e de material particulado, com o menor trânsito de veículos na área de lavra.

Destaca-se a importância do trabalho realizado pelo Ibama e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) na discussão do projeto, ainda na fase de análise de viabilidade, que resultou em melhorias significativas em relação à proposta inicial.

http://www.mma.gov.br/index.php/comunicacao/agencia-informma?view=blog&i...