As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

O Liberal - www.orm.com.br
28/10/2010
Petrobras Ambiental contempla 6 projetos paraenses com financiamento

Seis projetos do Pará foram contemplados nas duas seleções públicas 2010 dos programas da Petrobras nas áreas de desenvolvimento e cidadania e questão ambiental. A divulgação dos escolhidos foi feita na segunda-feira, 25, e na terça-feira, 26, respectivamente, no Rio de Janeiro. A duas seleções vão destinar aos contemplados, em todo Brasil, recursos no valor de aproximadamente R$ 190 milhões, sendo R$ 110 milhões para a área de cidadania e R$ 79 milhões para a ambiental.

O programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania (PPDC) recebeu 5.183 inscrições e selecionou 113 projetos, já o programa Petrobras Ambiental (PPA) teve 928 projetos inscritos e 44 selecionados. No primeiro, o Pará inscreveu 110 projetos e teve selecionados quatro; no segundo, foram 37 inscritos e um selecionado pelo Estado e outro, em nível regional. Os valores destinados aos projetos têm a vigência no biênio 2010-2012, quando haverá uma nova seleção.

Os quatro contemplados paraenses no programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania (PPDC) são os projetos "Educação para Qualificação Profissional" (estruturação e fortalecimento do curso médio profissionalizante desenvolvido pelas casas familiares rurais da Transamazônica e Xingu, em Altamira, Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Pacajá, Placas, Rurópolis e Uruará); "Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente - Projeto Arte" (para cerca de 140 crianças e adolescentes, moradores de alguns bairros periféricos de Belém, em proposição de responsabilidade do Lar de Maria); "Geração de Renda e Oportunidade de Trabalho - Projeto de Apoio a Geração de Renda - Juventude e Cooperativismo no Sul do Pará" (nos municípios de Eldorado dos Carajás, Itupiranga, Marabá, Nova Ipixuna, Parauapebas, São Domingos do Araguaia e São João do Araguaia, em proposição da Federação das Cooperativas da Agricultura Familiar do Sul do Pará - Fecat) e "Amazonia: Juventude Urbana fazendo opção pela Vida" (municípios de Belém, Marabá e Santarém, sob a responsabilidade do Instituto Universidade Popular - Unipop).

No programa Petrobras Ambiental (PPA), o Pará foi beneficiado com um projeto em nível local e outro em nível regional. O local foi o projeto "Bicho d'água: Conservação Socioambiental", da ONG Grupo de Estudo de Mamíferos Aquáticos da Amazônia (Geman), ligada ao Museu Emílio Goeldi e representada na seleção pela Fundação Instituto para o Desenvolvimento da Amazônia (Fidesa), que pretende a recuperação ou conservação de espécies e ambientes costeiros, marinhos e de água doce na área de Proteção Ambiental (APA) de Algodoal/Maiandeua e na costa leste da ilha de Marajó, em especial o boto-cinza, boto-vermelho e peixe-boi. O de abragência regional foi "Conservação de vertebrados aquáticos", com foco no manejo sustentado dos recursos naturais para conservação da biodiversidade amazônica, em especial os grandes vertebrados aquáticos das várzeas e igapós das Reservas de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e Amanã, que abrangem os estados do Pará, Amazonas, Amapá e Tocantins.

Para a representante da ONG Geman, a oceanógrafa Maura Sousa, a vitória na seleção só aumentou o reconhecimento do trabalho do grupo, que já é apoiado pelo Museu Goeldi e pela Fidesa. "Serão dois anos de muito trabalho, mas ao qual já estamos acostumados já que temos um forte apoio das comunidades onde os projetos são desenvolvidos", disse Maura. A pesquisadora disse ainda que uma das metas desse trabalho é criar o Museu Estuariano na área de Joanes, na ilha do Marajó, além do trabalho de pesquisa com os manguezais na praia de Fortalezinha e a conscientização para a limpeza das praias.

http://www.orm.com.br/plantao/noticia/default.asp?id_noticia=497249