As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

G1 - http://g1.globo.com/
27/11/2017
Ministro do Meio Ambiente faz um balanco da visita a Fernando de Noronha: "Estao negligenciando", diz Sarney Filho

Ministro do Meio Ambiente faz um balanço da visita a Fernando de Noronha: "Estão negligenciando", diz Sarney Filho

G1 Pernambuco - Por Ana Clara Marinho

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, passou quatro dias em Fernando de Noronha, deixou a ilha nesse domingo (26). Inicialmente a viagem era de folga, mas o ministro acabou trabalhando muito. Ele esteve nas trilhas, falou com os servidores do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio) e participou de reunião com os conselheiros distritais. Fazia mais de 15 anos que ele não visitava a ilha. O ministro afirmou em entrevista ao Blog Viver Noronha que partiu com o sinal de alerta ligado, em função da possibilidade de riscos ambientais. Entre outras declarações, Sarney Filho afirmou que está preocupado com crescimento da visitação e um possível estouro na capacidade de carga de Noronha e que a ilha está sendo negligenciada. Confira a seguir.

Blog Viver Noronha (BVN) - Qual avaliação que o senhor faz de Fernando de Noronha depois de tanto tempo?

Sarney Filho - Eu acho que Noronha é uma joia preciosa do Brasil, temos que ter cuidado. O principal problema é o destino eco turístico, a ilha oferece tudo que o visitante deseja, o turista tem oportunidades raras. Não se pode tirar da natureza mais do que ela pode repor, esse é o termômetro. Eu acho que está sendo negligenciada, é preciso se tomar precauções.

BVN - O que está sendo negligenciado?

SF - Está havendo uma diminuição do bem-estar da população. Eu também acho que começam a haver sinais de que os tratamentos do esgoto e lixo não estão adequados a demanda, que é muito maior, esse é um problema sério.

BVN- A preservação de Fernando de Noronha não está sendo adequada?

SF - Isso é o começo, eu não vou julgar, até porque tenho ligações históricas e familiar com Noronha. O parque foi criando quando meu pai era presidente e eu implementei as trilhas, quando fui ministro do meio ambiente da primeira vez. Espero fazer outras ações, na conversão de dívidas de compensações ambientais. Podemos investir cerca de 38 milhões de reais para usar em toda a ilha, no Parque Nacional Marinho e na Área de Preservação Ambiental (APA), mas é preciso a participação do Governo do Estado.

BVN - Fernando de Noronha recebeu em 2016 cerca de 100 mil turistas, o senhor acha que isso é muito?

SF - Deve ser respeitado o Plano de Manejo da APA, esse documento tem um parecer técnico, científico e jurídico com a participação da população. Se o Plano de Manejo diz que 100 mil pessoas é muito, eu concordo com o Plano. Não tem como não respeitar isso, é para o benefício da atividade. Se o turismo se torna insustentável, a ilha se torna insustentável também. Quem tem que lutar mais são as pessoas que moram aqui, tem gente ganhando muito dinheiro, Fernando de Noronha já é muito cara. A ilha é uma nave, se ela naufragar, todos vão naufragar.

BVN - Existe uma luta pelo poder da APA , uma briga pela ilha entre os Governos do Estado e Federal. O que o senhor acha disso?

SF - Eu sou autor de uma Lei complementar que regulamentou a participação dos estados na questão ambiental. O licenciamento ambiental é do Estado, a partir dessa minha visita eu vou conversar com o pessoal do Ibama e do Departamento Jurídico para ver se podemos excepcionalizar Fernando de Noronha, e deixar o licenciamento ser apenas Federal, que seria de responsabilidade do Ibama. Isso é um pedaço do Estado de Pernambuco que tem suas excepcionalidades, é mais um pedaço do Brasil do que de Pernambuco.

BVN - O morador tem a preocupação de ter que solicitar autorizações federais para pequenas obras. A comunidade acredita que a demora pode ser muito grande. O que o senhor acha disso?

SF - Isso é uma ilha, pode haver o zoneamento e planejamento. Eu não sou contra a expansão urbana. É preciso cuidado para que isso não se transforme apenas num negócio, que venham empresários ganhar dinheiro e tirar o direito de moradia da comunidade da ilha.

BVN - É possível autorizar a pesca da sardinha na área do Parque Nacional Marinho?

SF - Está sendo feito um estudo muito criterioso pelo professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Paulo Travassos. Se o professor encontrar soluções que possam excluir o Parque para captura da sardinha, vamos seguir. Caso o professor indique só existir a possibilidade de captura das iscas no parque, vamos seguir o parecer técnico.

BVN - Havia a possiblidade de abertura do aeroporto de Fernando de Noronha para voos noturnos. O ICMBio avalia que só devem ocorrer voos de salvamento, não comercial. Qual sua posição?

SF - Sou completamente a favor do parecer do ICMBio. Se estamos discutindo o número de pessoas que devem visitar a ilha, os voos comerciais devem ser feitos durante o dia. Para voos comerciais noturnos seria preciso sinalizar os morros, descaracterizando a noite de Fernando de Noronha, isso eu sou contra. Eu determinei que se fizesse um requerimento para a Aeronáutica para voos de salvamento, o que é fundamental.

http://g1.globo.com/pernambuco/blog/viver-noronha/post/ministro-do-meio-...