As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

ICMBio - http://www.icmbio.gov.br/
21/01/2014
Jovens protagonistas sao capacitados em Soure

Cerca de 80 jovens participaram do segundo módulo do Projeto "Jovens como Protagonistas do Fortalecimento Comunitário", que aconteceu nos dias 14 e 15 de dezembro na Resex Marinha de Soure, unidade de conservação gerida pelo ICMBio localizada na Ilha do Marajó. O objetivo do projeto foi apoiar o protagonismo da juventude extrativista que vive em Unidades de Conservação na articulação de políticas e na sua inserção na gestão do território, visando a sustentabilidade ambiental e a melhoria da qualidade de vida das populações.

O projeto é uma iniciativa da Coordenação de Educação Ambiental do ICMBio, da Resex de Soure e do Projeto Manguezais do Brasil, também coordenado pelo Instituto Chico Mendes com a cooperação do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Para o diretor do projeto Manguezais do Brasil, João Arnaldo Novaes, a inciativa fortalece a conservação ambiental e a gestão participativa nas UCs. "O ICMBio está incentivando a iniciativas socioambientais como estratégia para a promoção da conservação da biodiversidade. A organização comunitária munida de consciência ecológica reflete na preservação e no uso sustentável das florestas e dos mangues", explicou ele.

A analista ambiental Gabriella Calixto, responsável pela implementação do projeto na Resex de Soure, explica que um resultado importante da ação é o fortalecimento dos grupos de jovens para assumirem o seu protagonismo sociambiental. "Eles podem atuar como lideranças comunitárias, mas principalmente como cidadãos responsáveis pela transformação de sua realidade e pela construção de uma sociedade melhor para todos, que entenda a importância e o papel das unidades de conservação para os extrativistas e para a coletividade".

Segundo Módulo

O segundo Módulo do curso de capacitação abordou a legislação ambiental voltada às Unidades de Conservação, focando, também, na problemática do lixo e dos pontos positivos e negativos que envolvem a reciclagem.

"Tratamos sobre os desafios criados pela sociedade do consumo e seus impactos socioambientais, e de como a sociedade e o Estado elaboraram soluções a esses desafios em forma de leis - como a do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (Lei 9.985/00-conhecida como Lei do SNUC) e a da Política Nacional de Educação Ambiental (Lei 9.795/99, conhecida como PNEA ) - e da organização social.

Uma das atividades realizadas no encontro foi a visita à praia onde os jovens observaram rejeitos. "Todas as atividades práticas são propostas pelos próprios jovens", contou o consultor Leonardo Rodrigues, educador ambiental que desenvolveu a metodologia utilizada no projeto.

Para a jovem Leiciane, de 25 anos, que nasceu e vive na comunidade do Pesqueiro, a atividade foi bem recebida pelos jovens, pois vai além do conhecimento escolar e leva o conhecimento da área onde vivem. "Aprendemos a respeitar as leis de conservação das unidades de conservação e percebemos o quanto nós (jovens) somos importantes para garantir que os nossos filhos e netos tenham os recursos naturais como nós temos hoje", contou ela.

Cada projeto possui no mínimo de 10 módulos, realizados a cada dois meses, antecedido de uma reunião de planejamento, na qual os jovens participantes, analistas ambientais do ICMBio, lideranças locais e professores definem como será realizado o curso, os temas e as atividades que serão desenvolvidas.

O primeiro módulo (preparatório) de Soure aconteceu em outubro/13 e contou com jovens das comunidades de Caju-Una, Céu e Pesqueiro. Já a realização do módulo I contou com as comunidades já citadas e também com jovens ligados à algumas associações ligadas à Reserva Extrativista (RESEX), como a Associação de Caranguejeiros de Soure e a Associação dos Moradores do Bairro do Pacoval (entorno da UC), totalizando 80 jovens.

Nos próximos módulos serão tratadas questões como a historia e diversidade do Marajó, os mangues e a atividade de pesca. Todos os temas são relacionados à realidade na qual os jovens estão inseridos, aumentando o seu empoderamento coletivo e o protagonismo social visando garantir a efetividade da unidade de conservação.

Contexto da ação

O Projeto Jovens Como Protagonistas do Fortalecimento Comunitário tem como base a metodologia "Verde Perto Educação", inspirada na teoria das Inteligências Múltiplas de Gardner (1994), na Complexidade Ambiental de Leff (2003), na Educação para o Futuro de Morin (2002, 2005) e na pedagogia da autonomia de Freire (1998), e baseia-se em três eixos: protagonismo juvenil, educação lúdica e transdisciplinaridade.

Até o momento, o Projeto foi implementado em Unidades de Conservação da Amazônia e da Caatinga, como Resex Rio Jutaí, Resex Baixo Juruá, Resex Médio Juruá, Flona Tefé, Resex Unini e Parna Chapada Diamantina. As ações também estão sendo expandidas para a Região do litoral Paraense, nas Reservas Extrativistas de Soure, Tracuateua, São João da Ponta e Chocoaré-Matogrosso.

Um vídeo sobre o primeiro grupo de capacitação do Programa Jovens como Protagonistas do Fortalecimento Comunitário está disponível no Canal EducaChico no Youtube. Acesse: http://www.youtube.com/watch?v=ezjGFLxg-aQ.

http://www.icmbio.gov.br/portal/comunicacao/noticias/4597-jovens-protago...