As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

ICMBio - http://www.icmbio.gov.br/
20/10/2015
Fogo se alastra no Parque Nacional da Serra do Cipo

Equipes do ICMBio pedem doações e ajuda de voluntários

O incêndio que atinge há quatro dias o Parque Nacional da Serra do Cipó, em Minas Gerais, continuava no final da tarde desta terça-feira (20), conforme boletim divulgado pelas equipes do parque e da Área de Proteção Ambiental (APA) Morro da Pedreira. O combate às chamas vai se estender pela noite e madrugada.

Segundo o boletim, um novo foco de incêndio foi confirmado na região da Farofa de Cima, no interior do parque, no município de Santana do Riacho. Com isso, já são três focos: além de Farofa de Cima, o Cânion das Bandeirinhas, em Jaboticatubas, e os Currais, na Serra dos Alves, município de Itabira.

Diante do avanço do fogo, as equipes do parque e da APA pedem aos moradores da região para atuar como voluntários no apoio às brigadas anti-incêndio ou fazer doações de alimentos não perecíveis, água mineral e compostos para reidratação, como Gatorade e similares.

Os alimentos, água e reidratantes são importantes para abastecer os brigadistas que atuam nas linhas de frente do fogo. Os interessados em se alistar como voluntários ou fazer doações devem ligar para o parque, no telefone (31) 3718-7475, que receberão todas as orientações sobre como prestar a ajuda.

Fechado para visitação

Nesta terça, para preservar os turistas, a chefia determinou o fechamento do parque até que o fogo seja totalmente debelado. Pista de pouso próxima ao parque foi acionada para receber aviões air tractor (aeronaves usadas em incêndios florestais).

Desde sábado (18), quando surgiram os primeiros focos, servidores do parque e da APA operam em duas frentes - uma na Portaria Areias e outra no Ponto de Apoio dos Currais, em Serra dos Alves. Participam dos trabalhos 35 brigadistas do ICMBio, sendo 25 do Parque Nacional da Serra do Cipó e dez do Parque Nacional do Caparaó, além de cinco brigadistas do Parque Estadual do Limoeiro.

Os brigadistas têm o apoio de bombeiros militares e de cerca de 45 voluntários, que atuam diretamente nas frentes de fogo e em atividades de apoio logístico, como distribuição de alimentos, água, equipamentos de proteção individual e funções administrativas.

A Coordenação de Emergências Ambientais do ICMBio, em Brasília, e a Coordenação Regional do Instituto, em Lagoa Santa (MG), também enviaram servidores ao local, para auxiliar nas ações de combate ao fogo.

O Governo do Estado de Minas ofereceu helicóptero da Polícia Militar para o transporte de brigadistas. As equipes do parque e da APA contam ainda com o apoio das prefeituras de Jaboticatubas e Santana do Riacho, que cederam caminhão-pipa para abastecimento da caixa d'água no aeródromo.

Suspeita de ação proposital

O incêndio começou no sábado e pode ter sido provocado pela ação do homem. "Por enquanto, a suspeita é que tenha sido fogo proposital para a renovação de pasto. Não sabemos se começou fora ou dentro do parque. Mas, evoluiu rapidamente", explicou o chefe da unidade Flávio Lúcio Braga Cerezo.

Na tarde de ontem (segunda-feira, 19), os brigadistas conseguiram conter as chamas na região do Rio da Garça, mas, em função do vento e do tempo seco, as champas se espalharam e atingiram outras localidades.

Minas Gerais vem sofrendo com os incêndios há vários dias. No último fim de semana, o governo decretou estado de emergência por causa das queimadas. Ontem, pelo menos 22 unidades de conservação estaduais e municipais eram castigadas pelo fogo.

Serviço:

Órgãos de imprensa que quiserem informações mais atualizadas sobre o incêndio devem ligar para o telefone (31) 3718-7475 e falar com a analista ambiental Romina Belloni ou pelo e-mail romina.silva@icmbio.gov.br

http://www.icmbio.gov.br/portal/comunicacao/noticias/4-destaques/7154-fo...