As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

ICMBio - http://www.icmbio.gov.br
04/08/2011
Especies da flora brasileira ganham estrategias de protecao

Com o objetivo de conservar e reduzir o risco de extinção de espécies de cactáceas no país, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) elaborou o Plano de Ação Nacional (PAN) para Conservação de Cactáceas. Coordenado pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade do Cerrado e da Caatinga (CECAT) o Plano abrange 28 espécies ameaçadas de extinção.

O PAN foi consolidado com a participação de diversas instituições como Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), universidades, organizações não governamentais e centros de pesquisa internacionais. É composto por três metas que incluem a ampliação do conhecimento sobre as espécies, a divulgação e proteção de áreas de ocorrência de Cactáceas ameaçadas e o aprimoramento e fortalecimento das políticas públicas relacionadas às Cactáceas.

Com incidência maior das Cactáceas nos biomas do Cerrado e da Caatinga, o plano estabelece ainda estratégias para proteção de outras espécies consideradas em risco de extinção e as respectivas ações possuem validade até dezembro de 2015. Ações contidas no PAN já estão sendo executadas.

O PAN das Cactáceas terá duração de cinco anos, porém revisado anualmente com o apoio do Grupo Estratégico Assessor que irá desenvolver atividades para contribuir no acompanhamento e na implementação das ações propostas. Para a coordenadora de Plano de Ação Nacional do ICMBio, Fátima Toledo, os grupos são operacionais e funcionam como um mecanismo de controle social para checar o andamento das ações para a recuperação e conservação das espécies e seus habitats.

Algumas das espécies que integram o PAN Cactáceas possuem registros em unidades de conservação tais como o Parque Nacional da Tijuca (RJ), o Parque Nacional da Serra do Cipó (MG) e a Floresta Nacional de Contendas do Sincorá (BA).

Segundo Suelma Ribeiro Silva, coordenadora do CECAT, outros Planos de Ação Nacional para a conservação da flora brasileira estão sendo elaborados. "O PAN de Eriocaulaceae deve ser lançado nos próximos dias. O PAN Orquidáceas tem previsão de lançamento para 2012 e terá ações para 30 espécies e também para o próximo ano teremos o lançamento do PAN Solanaceae."

Cactáceas

A família Cactaceae é representada por aproximadamente 1.300 espécies, todas, com exceção de Rhipsalis baccifera, são endêmicas das Américas. O Brasil abriga o terceiro centro de diversidade das Cactáceas, após o México e sul dos Estados Unidos e a região dos Andes que inclui a Bolívia, Argentina e o Peru.

No país ocorrem cerca de 230 espécies incluídas em 34 gêneros, das quais 184 são endêmicas do território nacional. Em diversidade, as regiões mais importantes no contexto brasileiro são o leste do Brasil (Bahia e Minas Gerais) e o Sul do Brasil (Rio Grande do Sul).

O Sumário Executivo do PAN Cactáceas já esta disponível no site do ICMBio. Para acessá-lo veja o anexo.

http://www.icmbio.gov.br/comunicacao/noticias/4-geral/1705-especies-da-f...