As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

MMA - http://www.mma.gov.br/
28/02/2014
Divertir-se nos parques publicos e opcao para quem nao curte carnaval

O Brasil possui 69 parques nacionais, além de florestas nacionais, áreas de proteção ambiental e inúmeros parques locais. Eles são uma opção para quem quer fugir da folia e busca o contato com a natureza durante os dias de carnaval. Opções como o Parque Nacional do Itaimbezinho, na serra gaúcha, Rio Grande do Sul, e o Parque Nacional de Jericoacoara, Ceará, estarão abertos durante todo o feriado de Momo, para deleite dos amantes da natureza.

De acordo com o presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Roberto Vizentin, muitos dos parques nacionais são de fácil acesso, localizados perto dos grandes centros urbanos, totalmente preservados, repletos de atrativos naturais, como cachoeiras, trilhas, mirantes, fauna, flora exuberante. "A visita a um parque nacional propicia uma experiência de encantamento e de comunhão com a natureza, e vale mais do que mil palavras sobre a importância de se conservar", define.

COMPORTAMENTO

O presidente do ICMBio lembra que o visitante deve recolher todo o lixo produzido e separar materiais recicláveis de restos orgânicos; não retirar plantas, nem levar "lembranças" do ambiente natural para casa, deixar pedras, flores, frutos, sementes e conchas onde foram encontradas para que outros também possam apreciá-los; não pegar nem alimentar os animais silvestres; ajudar na educação de outros visitantes, transmitindo os princípios de mínimo impacto sempre que houver oportunidade de disseminar essa atitude responsável. Além de observar as recomendações e regras de visitação, é preciso ler conhecer a natureza do parque, a forma segura de visitação e explorar as trilhas com guias preparados, quando necessário.

Em Minas Gerais, por exemplo, durante o carnaval, a equipe do Parque Nacional da Serra da Canastra, unidade de conservação (UC) federal gerida pelo ICMBio em parceria com a Faculdade de Iguatama e a Prefeitura de São Roque, oferecerá uma série de exames médicos aos turistas que visitarem a Cachoeira da Casca d'Anta. Trinta alunos voluntários do curso de Biomedicina realizarão avaliações médicas como verificação do tipo sanguíneo, medição da pressão arterial e da taxa de glicemia.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL

A administração do Parque Nacional da Serra da Bocaina, outra UC federal gerida pelo ICMBio, programou, para os próximos dias, ações visando reduzir os impactos ambientais ocasionados pelo grande número de visitantes na região de Trindade. Nos dias de feriado de carnaval, de 28 de fevereiro a 5 de março, estará proibida a entrada de veículos na UC. Não será permitido, também, o camping livre, a realização de churrascos, a entrada de cooler e isopores na piscina natural e nas quedas d´água. Mais de 20 pessoas, entre fiscais, analistas e técnicos ambientais, orientarão os visitantes e divulgarão as ações realizadas, pois a expectativa é de que, aproximadamente, 60 mil turistas visitem o parque nacional de 1o a 5 de março.

Para orientar os turistas, o Ministério do Meio Ambiente (MMA) dispõe do guia Passaporte Verde, disponível no site www.passaporteverde.gov.br, que apresenta informações sobre turismo sustentável, que respeita o meio ambiente, favorece a economia local e o desenvolvimento social e econômico das comunidades. Além de gerar emprego e renda, benefícios sociais e preservar o meio ambiente, as práticas do turista sustentável vão desde o planejamento da viagem até o meio de transporte utilizado.

Como milhares de pessoas procuram ambientes naturais no período carnavalesco para atividades de lazer, incluindo passeios, prática de esportes de natureza, como montanhismo, canoagem, exploração de cavernas e mergulho, entre outras, o MMA recomenda atenção, pois, na maioria desses locais, a natureza é frágil e precisa ser tratada com cuidado.

PLANEJAMENTO

Para não haver surpresas desagradáveis, faça contato prévio com a administração da área que você vai visitar para conhecimento os regulamentos e restrições existentes. Informe-se sobre as condições climáticas do local e consulte a previsão do tempo antes de qualquer atividade em ambientes naturais. Viaje em grupos de até dez pessoas, que se harmonizam melhor com a natureza e causam menos impacto.

Você é responsável por sua segurança. É importante lembrar que o salvamento em ambientes naturais é mais difícil e complexo, podendo levar dias e causar grandes danos ao ambiente. Portanto, não se arrisque sem necessidade. Avise à administração da área que você visitará sobre sua experiência, o tamanho do grupo, os equipamentos disponíveis, como bússola, celular e GPS, o roteiro e o retorno para facilitar o resgate em caso de acidente.

SEM FOGUEIRAS

Aprenda a usar um mapa e uma bússola, e tenha um estojo de primeiros socorros. Acidentes e agressões à natureza, em grande parte, são causados por improvisações, negligência e uso inadequado de equipamentos. Leve sempre lanterna, agasalho, capa de chuva, alimento e água, mesmo para atividades de um dia ou poucas horas de duração. Observe os animais à distância. A proximidade pode ser interpretada como ameaça e provocar um ataque, mesmo de pequenos animais. Além disso, animais silvestres podem transmitir doenças graves.

Mantenha-se nas trilhas predeterminadas e não use atalhos, pois favorecem a erosão e a destruição de raízes e plantas. Acampe a pelo menos 60 metros de qualquer fonte de água. Não corte nem arranque a vegetação, e não remova pedras. Não queime nem enterre o lixo. Caso não haja instalações sanitárias (banheiros ou latrinas) na área, enterre as fezes em um buraco de 15 centímetros de profundidade e a pelo menos 60 metros de qualquer fonte de água, trilha ou local de acampamento, e onde não seja necessário remover a vegetação. Traga de volta o papel higiênico utilizado. Não use sabão nem lave utensílios em fontes de água.

Não construa qualquer tipo de estrutura, como bancos, mesas, pontes, etc. Não quebre ou corte galhos de árvores, mesmo que estejam mortas ou tombadas, pois podem estar servindo de abrigo para aves, insetos ou outros animais. Não faça fogueiras. Elas enfraquecem o solo e representam uma das grandes causas de incêndios florestais. Para cozinhar, utilize fogareiro próprio para acampamento. Para iluminar o acampamento, use lampião ou lanterna.

http://www.mma.gov.br/informma/item/9979-divertir-se-nos-parques-p%C3%BA...