As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

Agencia Para de Noticias - http://www.agenciapara.com.br/
29/04/2016
Agricultores de areas protegidas conhecem sistema de producao

Dezesseis produtores da Área de Proteção Ambiental (APA) da Ilha do Combu e do Refúgio de Vida Silvestre (Revis) Metrópole da Amazônia foram a propriedades familiares nos municípios de Tomé-Açu e São Domingos do Capim, na região nordeste, para conhecer áreas onde foram implantados os Sistemas Agroflorestais (SAF's), como modelo de diversificação da produção da agricultura familiar.

As visitas, realizadas nos dias 27 e 28 de abril, foram acompanhados por membros do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio). Participaram produtores das comunidades de Santo Amaro, Abacatal, São Benedito, Piriquitaquara e Igarapé-Combu.

A iniciativa, que contou com o apoio do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), integra o Projeto AgroVárzea, desenvolvido pela Diretoria de Gestão e Monitoramento de Unidades de Conservação - DGMUC/Gerência da Região Administrativa de Belém (GRB), do Ideflor-bio, que visa diversificar a produção nas comunidades de populações tradicionais que estão dentro e no entorno das unidades próximas à cidade de Belém.

O projeto visa construir Unidades de Referência Tecnológicas (URT) nas comunidades, priorizando as espécies nativas de interesse da população local, além de buscar resultados positivos relacionados aos aspectos ambiental, social e econômico nas Unidades de Conservação.

Referência - A equipe do Ideflor-bio e os produtores visitaram em Tomé-Açu propriedades de agricultores familiares que são referência em diversificação. Duas pertencem aos agricultores Manoel do Carmo e José Maria, que implantaram SAF's com diferentes arranjos e culturas.

Em rodas de conversa que reuniram agricultores familiares e os visitantes, houve a troca de experiências e o esclarecimento de dúvidas relacionadas aos Sistemas Agroflorestais, tanto em terra firme como em área de várzea. A implantação de SAF's nessas áreas permite a conservação da biodiversidade, além de conter queimadas e o avanço do desmatamento.

De acordo com Rozangela Sousa, da Gerência da Região Administrativa de Belém, o objetivo da ação foi "mostrar aos produtores que este tipo de trabalho é favorável a todos. Além da troca de experiências, queremos incentivar a diversificação da produção dentro das Unidades de Conservação da Região Metropolitana de Belém", explicou.

Preservação - O Sistema Agroflorestal vem se consolidando como modelo sustentável para produzir alimentos em pequenos espaços. Ao associar a produção agrícola com a florestal na mesma área, o SAF promove recuperação do ecossistema natural, garantindo segurança, alimentos, sustentabilidade e bem estar às populações tradicionais.

No período de um ano, a equipe técnica do Ideflor-bio e seus parceiros institucionais acompanharão as Unidades de Referência Tecnológica nas comunidades, promovendo ações teóricas e práticas sobre manejo adequado das espécies de interesse dos habitantes, incentivando a diversificação da produção e a geração de renda ao longo do ano, além da conservação da biodiversidade das Unidades de Conservação.

http://www.agenciapara.com.br/noticia.asp?id_ver=125897